Corações tão deslavados de morte eficaz



Adolfo diz-lhe:
- Anda cá. Vem viver no meu coração.

Ela hesitou. A sua última palavra ficou suspensa no desejo do ar do quarto, como uma nota falsa de duzentos euros. Adolfo chamou-a de novo, ela pôs-se de pé, levantou os braços e despiu a blusa, rodou o trinco do soutien, de trás para diante, soltou-o e aproximou-se dele sem guardar recordações de nada, porque tinha o coração definitivamente mutilado para o amor. (...)

Excerto do conto - O Triste caso do Homem sem Fim -
in "Estórias de Amor para Desempregados"
Miro Teixeira
Auto-Publicação 2016 
Estorias-de-Amor-para-Desempregados - Link disponível só para loucos e aventureiros com boas almas que anseiem saltar fora deste tempo.

Enviar um comentário

Mensagens populares