Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro 20, 2015

O melhor de tudo são as crianças...

Próximo Sábado, dia 26, irei mais uma vez ler o meu conto infantil (não publicado - ainda) : "O Lugar Onde Começa a Chuva" - Será na sede da associação Bind'Ó Peixe, nas Caxinas, que foi quem me endereçou o convite, e o evento destina-se à animação das crianças do bairro de pescadores deste lugar tão emblemático da minha querida Vila do Conde, mas não só. Todos podem aparecer. Venham, e tragam os miúdos.  - Começa às 15h30. Consultem o cartaz.


E qual é a grande Tragédia?

A tragédia é a de que já não existem mais seres humanos, apenas máquinas de carne colidindo umas contra as outras como zangões de ideias fixas. E tudo começa no universal, obrigatório e corrompido sistema de ensino que nos molda a todos, desde as ditas classes governantes justo até aos pobres. Empurra-nos para a arena do consumismo, de possuir tudo, a qualquer preço. É por isso que todos queremos as mesmas coisas, da esquerda até à direita, sem esquecer o centro, há uma demolição sistemática da pureza da normal radicalidade em assumir-mo-nos individualistas. Deixa de existir individualidade, quando todas as ideias se fundem numa, e numa só coisa básica: a posse! A falta de unificação apenas se manifesta no esforço de acesso às coisas, trabalhando uma violência perpétua para lhes ter acesso. E porque se quer ter acesso? Porque fomos ensinados de que é uma virtude querer, logo, cada um expressa esse direito, essa nobre virtude, homens bons e assassinos por igual. Todos juntos, unidos p…

"Noodles, I slipped.."

Aquele filme que vemos e nos trabalha todo cá dentro e que fica criança perpétua como só os amores de infância conseguem ficar. Aquele filme que nos rasga a alma para todo o resto do tempo que vivermos. Aquele filme que nunca renunciamos, que nunca respondeu nem vai responder às críticas, que nos explica a amizade porque ali a víamos tão igual à nossa, que pensa por nós, dói por nós, ri, fode, mata por nós... esse deveria de ser o filme das nossas vidas. Certamente que é.
Pois é.
Hoje faz anos o meu filho, e talvez consiga explicar-lhe tudo isto enquanto o vemos. Ou talvez apenas, deixe que o filme lhe explique por mim.