Avançar para o conteúdo principal

Associação Helpo



















Este é o Luís Abraão..! O Luís Aparenta ser uma criança simpática e risonha. Vive com os pais no bairro de Impiri, no distrito de Pemba - Metuge, a cerca de 60 km.da capital da Província de cabo Delgado, Pemba, em Moçambique, numa casa de condições precárias, construída com materiais locais, sem acesso a saneamento básico ou energia elétrica.
É uma criança saudável e frequenta a 1ª classe na escola primária de Impiri. Os seus pais são camponeses, e apesar da tenra idade, o Luís também ajuda a família em algumas tarefas do quotidiano. O Pai do Luís inscreveu-o no Programa de Apadrinhamento à distância da HELPO, para que ele pudesse ter acesso a uma instrução regular...e eu, eu Apadrinhei-o. O Luís é agora meu afilhado! 
 
E Graças à Helpo, também você pode ajudar uma criança em Moçambique a esboçar um sorriso tão bonito quanto o do Luís. Experimente!

Associação Helpo - Organização Não Governamental para o Desenvolvimento
Rua Manuel Joaquim Gama Machado, nº4 2750-422 Cascais
Telefone: 21 484 40 75
Fax: 21 484 31 54
E-mail: info@helpo.pt
www.helpo.pt

Mensagens populares deste blogue

Jorge Machado

Ninguém nunca sabe ao que vem, viver é um ensaio. Dão-nos o que fazer e coisas para que acreditemos e depois ficamos à solta. Dão-nos o nós e a vida de barro, mas há quem faça o que bem entende gostar de fazer. E até há quem o faça muito bem. Ninguém nos explica direito, em pequenos, que as coisas mudam e partem e ausentam-se, e que antes de aqui chegarmos, já o seríamos, mas que tudo se cria e que tudo se nos pode escapar. Carecemos de um olho arguto e atento para captar o que mais conta, até à eternidade. Eu, por boa sorte, tenho um amigo, que por sorte também é o meu melhor amigo, que entende muito bem que há tempos de equívocos, de medo e de combate. Que o mundo, de tão duro e belo até ao fim é mais colectivo se for partilhado em imagens, que nos deixem estarrecidos. O Jó sabe disso de querermos ser felizes, nisso somos mais que irmãos.  E desde catraios entendi nele, o seu lugar exacto. O seu carácter metódico, rigoroso é a pedra de toque da sua vida e da sua paixão, a fotografia. …

Dia sim, dia não, uma beleza antiga.

Peido, logo existo!

Hoje, o Homem exalta-se a si mesmo constantemente.

Confesso que nunca me pensei como um moralista de bastidor, daqueles provedores de sofá que despejam dislates em frente ao televisor, e depois, insatisfeitos, rumam às redes sociais a mostrar ao mundo como a cabeça lhes chegou aos dedos. Ontem apercebi-me que sou. É uma idiossincrasia quetalvez me tenha chegado com a idade. Certas noções de certo e errado começam finalmente a assentar cá dentro.  Todos sabemos sobre o terrível incêndio, sobre as vítimas, a indefinição de culpabilidade, os deslizes da, por vezes, muito pobre comunicação social que os acompanhou. Todos já sabemos tudo sobre isto, demasiado quiçá. Por altura destes tempos imediatos, nem o mero escapar de um gás de algum mosquito se livra do escrutínio continuado e multi-interpretado. É assim que são as coisas agora. Muito úteis a espaços, em momentos e situações que de outro modo passariam despercebidas da maioria, como revoluções, catástrofes, violações dos direitos hu…